Economia /

Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019, 02h:30

A | A | A

De 10 empresas que abriram em 2012, pelo menos 6 já fecharam as portas

arrow-options Reprodução Saldo de empresas abertas e fechadas continua negativo em 2017, diz IBGE Cerca de 40% das 597,2 mil empresas criadas em 2012...


Imagem de Capa
loja fechada arrow-options
Reprodução
Saldo de empresas abertas e fechadas continua negativo em 2017, diz IBGE

Cerca de 40% das 597,2 mil empresas criadas em 2012 estavam ativas em 2017. Ou seja, apenas quatro entre 10 empresas sobreviveream por cinco anos após sua abertura.

Essa proporção é medida pela taxa de sobrevivência levantada pela pesquisa de Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo, divulgada hoje pelo IBGE com dados de 2017.

Um em cada quatro desempregados procura emprego há pelo menos 2 anos

Naquele ano, havia cerca de 4,5 milhões de empresas no país, 22,9 mil a menos em relação ao ano anterior. Eletricidade e gás foi a atividade com maior proporção de novas empresas naquele ano (23,3%), enquanto o setor de construção registrou o maior percentual de empresas que fecharam as portas (20,8%).

A analista da pesquisa, Denise Guichard, explicou que o saldo de empresas no mercado vinha positivo por vários anos até 2013.

“Havia quase 4,8 milhões de empresas em atividade no país, com um saldo de 175 mil em relação a 2012, e o número de empresas crescendo. Mas esse número vem se reduzindo, com saldos negativos em todos os anos desde 2014, quando teve a maior queda, de quase 218 mil empresas", diz a especialista do IBGE.

Número de trabalhadores sem carteira assinada é recorde no Brasil

Entre as empresas sobreviventes em 2017, quase 60% têm pelo menos uma pessoa assalariada. “Já a maioria das empresas que fecharam é formada apenas pelos donos e sócios”, explica Denise.

Ela ressalta também que, entre as empresas sobreviventes, 14,3% dos assalariados são de nível superior . “Já nas novas empresas, o pessoal com nível superior é somente de 8,7%. Nas que fecharam, corresponde a 7,6% do pessoal ocupado assalariado”, concluiu a analista.




Loading...



Empresas empregadoras

carteira de trabalho arrow-options
MARCELLO CASAL JR./AGÊNCIA BRASIL
Empresas de alto crescimento, que empregam mais de 10 pessoas no primeiro ano de vida e crescem a equipe em 20% por ano, eram apenas 20.306 em 2017

A pesquisa estuda, entre outros aspectos, as empresas de alto crescimento, que são aquelas com 10 ou mais funcionários no primeiro ano de existência, e que cresceram a mão de obra ao menos 20%, em média, por três anos seguidos. 

Transporte ultrapassa alimentação nos maiores gastos das famílias brasileiras

Em 2017, a pesquisa identificou  20.306 empresas com esse perfil, o menor número da série histórica iniciada em 2008 (30.954). O maior foi registro de empresas de alto crescimento foi em 2012 (35.206). Entre 2016 e 2017, houve redução do número dessas empresas, tanto em termos absolutos, 692 empresas, como relativos, 3,3%.

Esse grupo representava 0,5% das organizações ativas, 0,8% das empresas com pessoas ocupadas assalariadas e 4,5% daquelas com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas em 2017, segundo a pesquisa.

Entenda

Apple lidera e Facebook sai do ranking das 10 melhores marcas de 2019; confira

Denise explica que a tendência é que a taxa de sobrevivência das empresas realmente se reduza com o passar dos anos.

Por exemplo, das organizações criadas em 2012, 78,9% sobreviveram após um ano de funcionamento, 64,5% após dois anos, 55% após três anos, 47,2% após quatro anos e 39,8% estavam abertas em 2017. Já das 558,6 mil empresas criadas em 2008 , 47,8% sobreviveram em cinco anos.


0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz