propaganda

Mato Grosso /

Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2022, 18h:09

A | A | A

Fácil, rápida e on-line: conciliação mediada pelo Judiciário ajuda a construir soluções efetivas

Uma dívida de R$ 2 mil colocou em risco a amizade de quase 20 anos de Maria Iraene da Silva e Arizeth Luz Gomes Alves, mas graças a uma audiência...


Imagem de Capa
Tribunal de Justiça de MT
Uma dívida de R$ 2 mil colocou em risco a amizade de quase 20 anos de Maria Iraene da Silva e Arizeth Luz Gomes Alves, mas graças a uma audiência de conciliação realizada pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) durante a 3ª Expedição Araguaia-Xingu em Luciara (a 1177 km de Cuiabá) o impasse foi solucionado e a amizade preservada.
 
 
Maria Iraene conta que trabalhou com Arizeth e por morarem em uma cidade pequena, com cerca de 2.500 habitantes, se aproximaram. A amiga foi demitida do emprego e passou por dificuldades financeiras, pediu o valor emprestado e ela de bom grado concedeu. Entretanto, após quase três anos a dívida não foi quitada, as cobranças causaram desconforto entre as duas. “Com a pandemia as dificuldades aumentaram e agora estou precisando do dinheiro. Como tudo foi feito verbalmente fiquei insegura sobre quando iria receber”, revela Maria Iraene.
 
Para evitar o prolongamento de questões envolvendo divergências como reconhecimento de paternidade, cobrança de dívidas, relações de consumo, por exemplo, o Judiciário de Mato Grosso tem incentivado a conciliação entre as partes.
 
A Campanha Estadual de Conciliação que, neste ano, marca a expansão da cultura da paz e mediação, sob o comando do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), coordenado pela juíza Cristiane Padim, iniciativa as pessoas a optarem pela solução de conflitos de forma rápida, fácil e on-line.
 
O cidadão ou cidadã que tiver interesse em buscar a conciliação, pode acessar o Portal do Nupemec  e abrir uma solicitação. A audiência de conciliação ou mediação será marcada após convidar os demais envolvidos no conflito, que serão ouvidos com o auxílio de um mediador, mediadora, conciliador ou conciliadora.
 
Além de questões que envolvem divergências sobre dívidas, como o caso das amigas de Luciara, é possível encontrar uma solução para conflitos em relação a pensão alimentícia; guarda dos filhos; divórcio; partilha de bens; acidentes de trânsito; dívidas em bancos; danos materiais e morais; questões que envolvam comércio, relação de consumo, vizinhança e outras.
 
 
Na sequência você confere outras matérias sobre a Campanha Estadual de Conciliação
 
 
Andhressa Barboza
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 
 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você apoia o pagamento de 13º salário para vereadores, prefeito, vice e secretários?
Sim
Não, eles já recebem demais.
Não tenho opinião formada sobre o assunto