propaganda

Internacional /

Terça-feira, 10 de Maio de 2022, 14h:06

A | A | A

Príncipe Charles lê discurso da rainha ao Parlamento pela primeira vez

O príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, e o príncipe William ocuparam o centro do palco na abertura do Parlamento do Reino Unido nesta...


Imagem de Capa
EBC Internacional - NACIONAL

O príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, e o príncipe William ocuparam o centro do palco na abertura do Parlamento do Reino Unido nesta terça-feira (10), substituindo a rainha Elizabeth, de 96 anos, que não compareceu ao grande evento pela primeira vez em quase seis décadas.

Com a rainha forçada a se ausentar devido à recorrência de problemas de mobilidade, Charles, de 73 anos, chegou ao Palácio de Westminster para ler a agenda legislativa do governo.

Charles, que participou da abertura do Parlamento ao lado de sua mãe nos últimos anos, começou a ler cada projeto citando a monarca: "O governo de Sua Majestade...".

Cerimônia

A abertura do Parlamento é um evento de grande pompa que, tradicionalmente, conta com a rainha sendo transportada em uma carruagem, escoltada por soldados em uniforme cerimonial.

A monarca veste o Manto de Estado antes de liderar uma procissão até a Câmara dos Lordes, onde se senta em um trono e abre formalmente uma nova sessão do Parlamento, ao ler um discurso escrito pelo governo descrevendo seus planos legislativos.

A rainha ficou de fora da cerimônia apenas em duas ocasiões, durante seu reinado de 70 anos - em 1959 e 1963, quando estava grávida dos filhos Andrew e Edward.

A rainha, que não compareceu a vários compromissos públicos desde que foi hospitalizada por uma noite em outubro passado por uma doença não especificada, teve que emitir "Cartas Patentes" para autorizar Charles e William a desempenhar seu papel no evento constitucional.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você apoia o pagamento de 13º salário para vereadores, prefeito, vice e secretários?
Sim
Não, eles já recebem demais.
Não tenho opinião formada sobre o assunto