propaganda

ENEM /

Segunda-feira, 05 de Abril de 2021, 06h:30

A | A | A

Os alunos fizeram o Enem, e agora?

Chegou o momento de se inscrever no SISU


Imagem de Capa
Leonardo Baird

Entre os dias 06 e 09 de abril, a plataforma do Governo Federal de Seleção Unificada, conhecida como SISU, estará aberta e disponibilizará mais de 200 mil vagas em diversas Universidades Públicas, em todo o país – e é com a Nota do ENEM que essa seleção é feita.

Vale lembrar que é função do aluno ingressar na plataforma, disponível em sisu.mec.gov.br e se inscrever, sem custos, durante o período citado acima.

O que alguns alunos e pais desconhecem é o fato de que existem duas possibilidades de escolha de curso, que podem ocorrer de maneira distinta, em cursos diferentes, em faculdades diferentes, em turnos diferentes. É o modelo até hoje mais democrático e objetivo já criado para a seleção de estudantes de graduação, em todo país.

Destaca-se também o fato de que, em cada faculdade, existem pesos que farão com que a nota final gerada seja distinta daquela que o aluno teve acesso no ENEM. E saber por que isso ocorre pode fazer as chances do estudante ser aprovado aumentarem.

Além disso, desde 2013, com a Lei Federal de Cotas, as vagas são sempre distribuídas em 50% para ampla concorrência e 50% para alunos cotistas. Só tem direito a cotas os alunos que cursaram todo o ensino médio em escola pública ou em escola particular com 100% de bolsa durante todo o período.

O sistema é dinâmico e, a cada dia, atualizará a posição do aluno frente a faculdade e vaga escolhida, e dessa maneira o estudante que não estiver classificado em uma determinada instituição pode mudar de faculdade e curso, até ter sua nota compatível com as vagas disponíveis.

Então se você é pai ou estudante não perca essa oportunidade de se inscrever na plataforma e garantir sua melhor vaga em sua faculdade dos sonhos!!!

E se ainda tiver dúvidas é só chamar (66) 999776428 que iremos ajudar você nesse momento de decisão.

Porque se é Federal é APROVAÇÃO!!!

 

Cotas: será que eu tenho direito?

Muitos alunos desconhecem ou interpretam incorretamente os critérios de seleção.

Não Existe um só aluno que, em algum momento, não pensou no assunto: “eu tenho ou não direito a cotas, quando concorrer a uma vaga em Universidade Federal?”

A Lei Federal 12.711 de 2012 estabelece a quantidade e os critérios de enquadramento em cotas, no ensino público superior, de tal forma que metade de todas as vagas que são ofertadas, em todos os cursos de graduação, em todas as Universidades e Institutos Federais devem estar atreladas a vagas de cotistas. Para ter acesso a essas vagas o requisito inicial é: TER ESTUDADO TODO O ENSINO MÉDIO EM ESCOLA PÚBLICA (ou em escola particular com bolsa de 100%). Dai por diante as cotas se subdividem em renda, deficiência, índios, quilombolas, negros e pardos. Estes critérios podem ser combinados ou isolados, dependendo da forma como a Universidade selecionar.

Para comprovar os critérios, as faculdades exigem diversos documentos como laudos médicos, carteirinhas, atestados, extratos bancários, carteira de trabalho, bem como entrevistas em bancas específicas.

Por isso o aluno deve se atentar ao fato de possuir ou não, os documentos necessários. Na própria plataforma do SISU existe a lista a ser apresentada em cada um dos tipos de cotas existentes.

É claro que fraudes existem, mas as instituições e os próprios alunos monitoram essas ações desonestas e existem vários casos onde alunos foram expulsos durante o período de graduação por irregularidades.

Por isso antes de escolher a possibilidade de cota certifique-se de que terá direito!

E se ainda tiver dúvidas é só chamar (66) 999776428 que iremos ajudar você nesse momento de decisão.

Porque se é Federal é APROVAÇÃO!!!

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Caso a vacina para a Covid-19 seja liberada no Brasil, você pretende tomar?
Sim, se for a Chinesa
Sim, se for a Russa
Sim, se fosse outra
Nem pensar
Não tenho opinião formada sobre o assunto