Internacional /

Quarta-feira, 29 de Agosto de 2018, 15h:43

A | A | A

Movimento apadrinhado por Luciano Huck propõe regular maconha e taxar mais ricos

Divulgação/TV Globo Apresentador Luciano Huck foi cotado para ser candidato à Presidência da República O movimento Agora!, que tem no apresentador...


Imagem de Capa
Apresentador Luciano Huck foi cotado para ser candidato à Presidência da República
Divulgação/TV Globo
Apresentador Luciano Huck foi cotado para ser candidato à Presidência da República

O movimento Agora!, que tem no apresentador Luciano Huck um de seus principais expoentes e define a si mesmo como um "grupo de ação política a partir da sociedade, independente, plural, sem fins lucrativos e sem vinculação partidária", divulgou nesta semana um conjunto com mais de 130 propostas para o próximo presidente da República.

Entre as ideias defendidas pelo movimento – que, além de Luciano Huck , conta com nomes como o do empresário Carlos Jereissati Filho, do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero e do advogado Ronaldo Lemos – estão a "regulação da maconha para uso adulto" e a "separação objetiva entre o que é consumo e o que é tráfico de drogas".

Essa proposta é apresentada como uma das soluções para o cenário de superlotação em presídios agravado pela falta de julgamento dos detentos. 

As propostas do Agora! foram divididas em oito temas (Combate às desigualdades, sustentabilidade, segurança pública, reforma do Estado, educação, saúde, govtech e economia).

Em meio às políticas econômicas defendidas pelo grupo, está a unificação de "diversos impostos" mediante a introdução do Imposto sobre Valor Agregado, o IVA. Essa simplificação tributária por meio do IVA consta dos programas de governo de cinco candidatos à Presidência: Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O movimento também defende a tributação diferenciada para ricos e pobres como um meio de diminuir a desigualdade no País. Nessa direção, o clã de Huck, Calero e Jereissati Filho propõe "desenhar o sistema tributário de forma que sejam asseguradas receitas para o Estado ao mesmo tempo que se reduzam as enormes diferenças de padrões de vida das pessoas e a concentração e acumulação de poder econômico".

Figuram como políticas de combate à desigualdade a elevação dos tributos sobre herança e doações e a reimplementação do imposto sobre distribuição de lucros e dividendos. Essas propostas coincidem com pontos do plano de governo do candidato Guilherme Boulos (PSOL).

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz