Primavera do Leste, 20/06/2022 às 21:19 por
Clique F5 - Destaque - 20/06/2022
A tradição pelo agronegócio de Primavera do Leste vem dos pequenos produtores da região sul, que vieram desbravar o centro oeste. Muitos acreditaram na oportunidade de desenvolver sua vida em uma cidade que, há 36 anos tinha acabado de ser emancipada. Vieram e trabalharam nas áreas passando para as próximas gerações. De acordo com o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Toninho Filho, um dos diferenciais do município, é ter vários produtores com áreas de tamanho médio, diferente de alguns municípios que empresas, detém uma quantia muito grande de área, centralizando seus escritórios na capital. “Como aqui temos esse diferencial, acaba que cada produtor tem seu escritório, e assim, precisando de mão de obra, acaba gerando mais empregos na cidade”, diz Toninho. Localização privilegiada e alto investimento A posição estratégica da cidade facilita a interligação com rodovias estaduais e federais, ao ser cortada pela BR 070 e MT 130, com ligação com Goiás e o Distrito Federal, garantindo um rápido escoamento da produção, sendo outro grande trunfo para Primavera ter se tornado essa gigante. Além dos pioneiros e da boa localização, deve-se também destacar o trabalho feito pelo poder público para potencializar ainda mais esses resultados. A gestão tem um papel fundamental nesse processo de crescimento do agro, fazendo manutenção e asfaltamento nas estradas, trocando pontes de madeira por concreto e outras melhorias. A Secretária de Agricultura e Meio Ambiente tem trabalhado bastante junto com os produtores tanto nas questões ambientais tanto nas partes mais burocráticas, junto com os órgãos estaduais, quanto dando todo o suporte ao produtor. “O produtor precisa de auxílio da porteira para fora, porque da porteira para dentro ele sabe o que fazer, e é todo esse aparato que estamos oferecendo”, explica Toninho. Suporte dado também em investimento contínuos em tecnologia de ponta e mão de obra qualificada. “Quem me conhece sabe que eu vim do agro, conheço a realidade do trabalhador do campo e por isso, podem ficar tranquilos porque estamos trabalhando dia e noite para trazer todas as melhorias que nossos produtores merecem”, garante o vice-prefeito Ademir Góes. Município aparece entre as 15 cidades mais ricas do agronegócio nacional Com o aniversário de 36 anos, Primavera do Leste tem muito o que se orgulhar dos números impressionantes que o campo ostenta. São produzidos em terras primaverenses 1.055.000 toneladas de soja, em 303 mil hectares de área plantada, 1.300.000 toneladas de milho, espalhados em 192 mil hectares, além de 226 mil toneladas de algodão distribuídas em 50 mil hectares, tudo isso na maior área irrigada do Brasil O rebanho bovino é de 81 mil cabeças. Outro destaque são as 90 aeronaves agrícolas, sendo a maior frota do Brasil. Esse grande resultado do agro ajuda a alçar Primavera ao 7º maior PIB de Mato Grosso (R$ 3.956.358,77) com um PIB per capita R$ 61,274,33, 105% maior que a média nacional. Com tudo isso, fica fácil entender como o município aparece entre as 15 cidades mais ricas do agronegócio nacional. “O agronegócio é um dos propulsores da economia de Primavera do Leste, que apenas esse ano tem a expectativa de crescimento de cerca de 10%. Devemos muito disso aos produtores rurais que sempre apresentam valores significativos, participando ativamente na produção de renda, emprego e desenvolvimento para cidade”, destaca o prefeito Leonardo Bortolin (MDB). O crescimento não para Mais 18 empresas estão chegando em Primavera do Leste, e claro, que no ramo do agro não poderia faltar. A Úsina FS deve produzir anualmente até 585 milhões de litros de etanol a partir da moagem de 1,3 milhões de toneladas de milho. Investimento previsto é de R$ 2.2 bilhões. Grupo Wagron produzirá bioinoculantes, fertilizantes, equipamentos para nutrição animal e serviços de georreferenciamento por satélite, investimento de R$ 5.6 milhões, gerando cerca de 80 empregos. Valorem atua no ramo de beneficiamento de semente de milho, cerca de 400 empregos estão sendo gerados, e a estimativa é de que o investimento no município seja de mais de R$ 400 milhões. Vitale Corp, indústria de adubos e defensivos está investindo R$ 10 milhões Sementes Boa Safra líder na produção de sementes de soja de altíssima qualidade e tecnologia, contemplando também milho e feijão. Feira Agrícola consolidada Para confirmar sua grande influência no mundo do campo, Primavera do Leste é a casa da Farm Show, uma das maiores feiras agrícolas do Centro Oeste do Estado. O evento chegou a sua 6ª edição e retornou, após dois anos, devido a pandemia, com mais de 300 expositores, 60 canteiros experimentais, uma grande variedade de tecnologia, inovação e a expectativa de fomento para a cidade e toda a região de mais de R$ 1,9 milhão.


Primavera do Leste, 13/06/2022 às 20:59 por
AgroLink - Notícias - 13/06/2022
A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente abriu, nesta semana, o prazo para produtores rurais adquirirem mudas de erva-mate com o apoio da Prefeitura, por meio do Programa Troca-troca de Mudas de Erva-mate. O projeto de lei que prevê esse incentivo pela Administração Municipal foi aprovado por unanimidade pelos vereadores, durante sessão realizada no fim de maio deste ano. Antes de ser apreciado no Legislativo, o assunto havia sido discutido e aprovado pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (Comder). Conforme a assessoria de imprensa da Prefeitura, os agricultores interessados devem encaminhar a inscrição na Secretaria de Agricultura até o dia 30 deste mês. O objetivo é conceder de 100 a 1 mil mudas por produtor, com subsídio de até 50%. As mudas serão adquiridas de viveiros inscritos no Registro Nacional de Sementes e Mudas (Renasem). De acordo com o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, João Carlos Machry, o intuito da iniciativa é incentivar produtores que ainda têm interesse em produzir erva-mate. “Queremos fomentar o cultivo, porque sempre fomos uma região que produziu muito”, destaca. Machry ainda avalia que dois aspectos que contribuem para a redução das áreas de cultivo de erva-mate no município são a dificuldade em encontrar mão de obra, principalmente por envolver muita força física, e a valorização de outros produtos, especialmente do milho e da soja. Segundo o extensionista rural da Emater, Rudinei Pinheiro Medeiros, a expectativa em relação à adesão dos agricultores ao programa é muito positiva, em especial, porque essa já era uma solicitação dos produtores. Eles também destacam que quem mantém os ervais tem o hábito de todo ano fazer o replantio de mudas. A maior parte dos ervais de Mato Leitão são consorciados com o milho, aipim, moranga e tabaco. Representatividade Morador da comunidade São João, de Vila Arroio Bonito, o casal Nelson Schuh, 61 anos, e Maria Marlene Schuh, 58 anos, tem a erva-mate como carro-chefe na propriedade. “O que tenho é graças à erva”, comenta o produtor rural. Ele trabalha com a cultura desde muito jovem e segue os passos dos pais. Hoje, a área de cultivo de erva-mate é de 11,4 hectares. O plantio é feito no formato consorciado com milho, aipim, feijão e batata. Os produtos são usados para o consumo familiar. No momento, a produção do erval é comercializada para uma empresa de Mato Leitão. Schuh salienta que não pensa em desistir do cultivo da erva e, por isso, vê com bons olhos o programa de incentivo implementado pela Prefeitura neste ano. “Acho que deveria ter iniciado antes, inclusive. É importante para manter o cultivo”, comenta, ao mencionar que, com a estiagem, muitas mudas de erva morrem, o que dificulta a produção. Conforme o escritório municipal da Emater, a cultura da erva-mate sempre teve importância econômica e social significativa para Mato Leitão. Assim, o replantio de novas cultivares abre a oportunidade para que a erva produzida no município esteja mais presente no mercado destinado ao chimarrão no Rio Grande do Sul. Além desse programa para auxílio no custeio das mudas, o Município já auxilia os produtores de erva-mate com análise de solo, adubação verde de inverno e transporte de calcário. A Emater também realiza um trabalho de extensão rural com as famílias que fazem parte da produção da cultura, realizando análise de folhas e de solo em ervais da Cidade das Orquídeas, com acompanhamento técnico na adubação e nos tratos culturais. A cultivar argentina, presente em grande expressão em Mato Leitão, tem gosto mais forte, sendo utilizada para exportação ou no tereré. Sobre a inscrição • É necessário apresentar o Bloco de Produtor Rural, que precisa estar ativo no município, e estar em dia com tributos municipais. • Os produtores devem seguir orientações e vistorias técnicas da Emater, respeitando os manejos e tratos culturais da erva-mate. • O programa contemplará até cinco mil mudas anuais e o produtor poderá ser beneficiado com até 500 mudas por ano. Saiba mais • 30 a 35 produtores se dedicam ao cultivo de erva-mate na Cidade das Orquídeas. A localidade com maior concentração de ervais é Vila Santo Antônio. • 125 a 150 hectares é a área de cultivo de erva-mate no município hoje. Em 2020, a cultura ocupava a décima posição no Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), com uma produção de 802.867 quilos. Relembre • Em maio do ano passado, o vereador Zeca Rodrigues (PDT) fez uma indicação ao Executivo para a criação de um programa municipal para fomentar a cultura da erva-mate novamente no município. Na justificativa, ele argumentou que, para aumentar a produção, seria necessário contar com o poder público para estimular o plantio e tornar Mato Leitão, de novo, um município com grande produção.


Primavera do Leste, 23/05/2022 às 19:06 por
universoagro - Sustentabilidade - 23/05/2022
Ações inspiradas e alicerçadas na natureza para resolver problemas do mundo global. As Soluções Baseadas na Natureza (SBN), ou Nature Based Solutions (NBS), são apontadas como um dos melhores meios de compensação de carbono e foram tema do painel Crédito de Carbono de Floresta Nativa, apresentado na sexta-feira (20), o terceiro e último dia do Congresso Mercado Global de Carbono – Descarbonização & Investimentos Verdes. Entre as alternativas de SBN, foram citados os projetos para redução de emissões por desmatamento e degradação e os créditos de carbono. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, lembrou que cerca de metade das emissões de carbono no Brasil vem do desmatamento. Ele disse que o crédito de carbono pode virar uma vantagem competitiva do país em negociações. “O mercado de carbono permite que o Brasil não apenas não tenha custos, mas também que se beneficie desse bônus.” Segundo o diretor da Permian Global – entidade que desenvolve projetos de proteção e restauração de florestas tropicais – Edward Rumsey, o engajamento do setor privado no mercado de carbono se deve ao potencial econômico e ambiental do projeto. “Monetizar o reflorestamento é uma das melhores formas de diminuir os impactos do aquecimento global.”


Primavera do Leste, 20/05/2022 às 19:31 por
universoagro - Economia - 20/05/2022
Os níveis de fome ao redor do mundo atingiram uma nova alta, segundo o secretário-geral das Nações Unidas. António Guterres fez declarações na quarta-feira (18), durante uma reunião ministerial sobre segurança alimentar, em Nova Iorque. Guterres afirmou que mais de meio milhão de pessoas no mundo vivem em condições de fome, um aumento superior a 500% desde 2016. :: Problema com vários fatores Segundo ele, desde o surgimento da Covid-19, o total de civis que sofrem de insegurança alimentar severa dobrou, chegando atualmente a 276 milhões de pessoas. A insegurança alimentar será o foco de um debate no Conselho de Segurança esta quinta-feira. António Guterres explicou que o problema tem várias causas: conflitos, como a guerra na Ucrânia, pandemia, efeitos da mudança climática e desigualdades sociais. São 1,7 bilhão de pessoas afetadas por eventos extremos do clima e desastres naturais na última década, contribuindo para o aumento da fome global. :: Produção de trigo e óleo Sobre a guerra na Ucrânia, o chefe da ONU disse que a situação ameaça colocar dezenas de milhares de pessoas à beira da insegurança alimentar, seguida da desnutrição e da fome em massa, “numa crise que pode durar vários anos”. Guterres lembrou que Ucrânia e Rússia produzem quase um terço do trigo e da cevada mundial e são responsáveis por metade da produção global de óleo de girassol, além de produzirem fertilizantes. Ele prevê que se os preços dos fertilizantes continuarem em alta, a crise atual de grãos e de óleo de cozinha poderá afetar muitos outros alimentos, incluindo o arroz, impactando bilhões de pessoas na Ásia e Américas. O secretário-geral da ONU garantiu que acabar com a fome está ao nosso alcance, uma vez que existe “comida suficiente no mundo para todos, se houver ação em conjunto”.


Primavera do Leste, 16/05/2022 às 18:51 por
universoagro - Economia - 16/05/2022
O Índice de Produtividade Tecnológica (IPT) de Logística, desenvolvido pela TOTVS em parceria com a H2R Pesquisas Avançadas, apresenta um panorama sobre o grau de maturidade tecnológica da logística do agronegócio brasileiro, e revela que o setor está a frente dos demais embarcadores no que diz respeito à investimentos em tecnologia para armazenagem e transporte: 54% já possui sistemas de gestão de armazenagem e 32% gestão de transporte, enquanto a média dos embarcadores é de 46% e 26%, respectivamente. As empresas de agro representam 4% dos embarcadores abordados pelo estudo, que entrevistou também representantes da indústria, varejistas e distribuidores. Comparado aos demais, o agro se destaca positivamente na adoção de soluções integradas a meios de pagamento - 41%, enquanto a média dos embarcadores é de 30% - e no gerenciamento de risco - 29%, enquanto os demais apontaram 25%. Outro número de destaque é em relação ao investimento e uso de sistemas de otimização e roteirização logística, que já atinge 53% das empresas de agro entrevistadas. Entre os sistemas de gestão de armazenagem, as empresas de agro demonstraram adoção de dispositivos móveis na operação (50%), integração com hardware (50%) e uso de código de barras / RFID / BEACON (40%). Quando analisada a aplicação de soluções complementares, 57% utilizam ferramentas de BI (Business Intelligence) e CRM (Customer Relationship Management), dando importância também para ferramentas de Gerenciamento eletrônico de documentos (GED). Em relação a investimentos futuros na gestão logística, para os próximos dois anos o setor do agronegócio se volta para gestão de custo logístico (47%), ferramentas de planejamento de carga (43%), monitoramento de frota (38%) e sistema de checklist (30%). “O agronegócio é uma potência nacional e para tanta produção é necessário investir ainda mais em armazenamento e em transporte, uma vez que a produção precisa ser escoada. Observar o quanto esse setor tem aplicado de tecnologias voltadas à logística revela um cenário promissor de crescimento”, afirma Angela Gheller, diretora de produtos de Agroindústria e Logística da TOTVS. O Índice de Produtividade Tecnológica (IPT) de Logística é um estudo encomendado pela TOTVS, maior empresa de tecnologia do país, e conduzido pela H2R Pesquisas Avançadas. A pesquisa avalia o grau de aplicação e aproveitamento tecnológico tanto de prestadores de serviços logísticos (16%) quanto de embarcadores (84%). Para o estudo foram entrevistadas 740 empresas, entre nacionais e multinacionais, com faturamento igual ou acima de R$5 milhões.


Primavera do Leste, 13/05/2022 às 18:21 por
universoagro - Tecnologia - 13/05/2022
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) debateu, nesta quinta-feira (12), a conectividade no campo com alternativas via satélite e as possíveis mudanças proporcionadas por novas tecnologias para oferecer conexões mais rápidas de internet. O debate aconteceu durante a Agrotic, série de eventos que busca disseminar o uso das tecnologias de informação e comunicação e da Internet das Coisas no campo brasileiro. “A comunicação no campo não atende só a produtividade, mas a educação e segurança pública rural também. Ou seja, passa por diversos setores, é uma questão transversal”, afirmou Carlos Marsiglia, consultor do Projeto de Conectividade da CNA. Segundo o consultor, é um choque de realidade o produtor ter que percorrer quilômetros para emitir uma nota fiscal. No entanto, é gratificante ver que existe solução, já que o País é inteiro coberto por satélites. Marsiglia ressaltou que o mercado está apresentando mais ofertas de satélites, o que é benéfico para o setor porque “mais competição sempre beneficia o usuário”. “Os produtores estão em zonas de difícil acesso e pagam valores consideráveis para instalação do equipamento. Então, novos entrantes no mercado poderão facilitar o barateamento desse serviço e vemos isso com bons olhos”. Para Marsiglia, o produtor rural sonha em ter uma rede onde possa ter uma cobertura terrestre e de máquinas com custo acessível. Ele argumentou ainda que a entidade trabalha para a criação de um modelo de negócios que permita a convergência dos investimentos dos setores de saúde e segurança com o de comunicação para o setor rural. “Tem espaço para satélites, o Brasil é um país continental. A CNA tem feito esforço para que o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) seja usado no meio rural para atender as pessoas que estão sendo privadas desse acesso”.


Primavera do Leste, 12/05/2022 às 21:37 por
AgroLink - Notícias - 12/05/2022
Os constantes aumentos do diesel têm impactado diretamente os caminhoneiros do Brasil. A partir desta terça-feira (10), a Petrobras anunciou um novo reajuste, de 8,87%, que faz culminar numa alta acumulada de 47% somente em 2022. Diante deste cenário e com o objetivo de levar informações úteis aos caminhoneiros, a Fretebras, maior plataforma online de transporte de cargas da América Latina, analisou mais de 3 milhões de fretes publicados em sua plataforma, entre janeiro e abril de 2022, para identificar as rotas mais vantajosas em todo o Brasil. Segundo o estudo, para os motoristas que trabalham com veículos leves, o melhor preço de frete seria com origem em Alagoas, já que poderiam receber, em média, R$ 266 a cada 100 quilômetros rodados. Se o transporte for feito em caminhões semipesados, a rota mais vantajosa é partindo de Tocantins, onde o frete seria de R$ 451 a cada 100 km. Já para os veículos pesados, o melhor preço seria no Amazonas, com o pagamento de R$ 643 a cada 100 km. Entretanto, para os cargueiros maiores, os fretes com origem no Maranhão são uma melhor oportunidade, já que o estado nordestino tem um volume de cargas maior e o preço médio é parecido com o do Norte (R$ 618 a cada 100 km). O resultado do estudo foi simplificado com o objetivo de facilitar a consulta dos motoristas na hora de planejar possíveis rotas. Bruno Hacad, Diretor de Operações da Fretebras, destacou que “os motoristas que fazem o cálculo do custo do frete, buscando o máximo de informações antes de aceitar uma carga, e que conseguem negociar com as transportadoras a partir desse custo, naturalmente acabam tendo um rendimento bem melhor”. Para apoiar os motoristas a planejar melhor suas negociações, a Fretebras oferece uma calculadora de custos do frete, dentro do seu aplicativo. É um recurso gratuito que os caminhoneiros podem usar para conhecer os diferentes gastos do trajeto, aumentando o poder de negociação e contribuindo para eliminar os prejuízos na hora de aceitar um frete. “Ter em mãos os valores e fazer as contas é algo essencial para conseguir ter vantagem nos fretes. Por isso, indicamos que o caminhoneiro não aceite fretes sem calcular o custo antes e que tenha sempre uma reserva de emergência, afinal os imprevistos acontecem durante a viagem”, orienta Hacad. Rotas com maior volume demonstram demanda aquecida A Fretebras também analisou as rotas com mais demanda, levando em consideração aquelas que tinham, pelo menos, 100 mil fretes publicados entre janeiro e abril. O destaque fica para o estado de São Paulo, que registrou mais de 640 mil fretes no período, seguido por Minas Gerais, com 535 mil. Também se destacam os transportes de cargas originados do Paraná (330 mil), Goiás (236 mil), Rio Grande do Sul (233 mil), Mato Grosso (185 mil), Santa Catarina (160 mil) e Bahia (139 mil). O estudo ainda levantou os tipos de produtos mais transportados, levando em consideração três grandes setores da economia brasileira. No agronegócio, os destaques ficaram para os fertilizantes, soja e milho. No setor da construção civil, estão o cimento, telha e pisos. Já entre os produtos industrializados: alimentícios, máquinas e equipamentos e siderúrgicos. “Na Fretebras, assumimos o compromisso de ajudar os caminhoneiros com dados e informações, para que eles possam continuar nesta profissão que é fundamental para o nosso País. Esperamos que, com as informações que geramos a partir dos fretes publicados em nossa plataforma, eles possam enxergar as oportunidades e trabalhar de forma otimizada”, finaliza Hacad.


Primavera do Leste, 10/05/2022 às 18:56 por
universoagro - Agricultura 10/05/2022
No próximo dia 11 será inaugurada em Querência (MT) a nova central de recebimento de embalagens vazias de defensivos agrícolas do inpEV, entidade gestora do Sistema Campo Limpo. Com 1.180 metros2 de área construída, terá capacidade para processar mais de 1 mil toneladas/ano de embalagem. Além de Querência, a nova unidade atenderá agricultores de mais 14 municípios do Mato Grosso: Alto Boa Vista, Bom Jesus do Araguaia, Canabrava do Norte, Confresa, Luciara, Novo Santo Antonio, Porto Alegre do Norte, Ribeirão Cascalheira, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, São Félix do Araguaia, São José do Xingu, Serra Nova Dourada e Vila Rica. O gerente de Operações do inpEV, Antonio Carlos Amaral, explica que a inauguração ampliará ainda mais a malha de recebimento de embalagens no Mato Grosso, chegando a 36 unidades nas regiões estratégicas do estado. “Em 2021, foram destinadas corretamente cerca de 53,5 mil toneladas de embalagens de defensivos agrícolas no país, um aumento de 7% em relação a 2020. Somente o Mato Grosso respondeu por 25% do total, sendo o primeiro no ranking nacional”. De acordo com a coordenadora regional de Operações do inpEV, Rosângela Soto, como a região de Querência é uma nova fronteira agrícola, cresce de forma constante. “O inpEV precisa acompanhar este processo para atender à expansão da demanda local. Daí a importância desta inauguração no município, que, individualmente, é o maior produtor de soja, milho e algodão do Norte Araguaia”, explica. Rosângela diz que desde 2005 o município conta com um posto de recebimento, que é gerenciado pela Ardava (Associação dos Representantes de Defensivos Agrícolas do Vale do Araguaia) e recebe, em média, 400 toneladas de material por ano. “Com a inauguração, as duas unidades irão coexistir por um breve período. Para não causar transtornos para o agricultor, faremos uma transição gradual até que todas as entregas passem a ser feitas na nova central do inpEV”, destaca Rosângela. A nova unidade é gerenciada pelo inpEV de acordo com o Programa de Gestão Integrada das Centrais de recebimento e com as leis que regem a sua atividade – Lei 9.074/00 e seu decreto regulamentador 4.074/02.


Primavera do Leste, 05/05/2022 às 20:41 por
Clique F5 - Celebração - 05/05/2022
Provando que o Beach Tennis é um esporte que prove a integração e união de famílias. Nesta sexta-feira (06), no Complexo Arena F5, acontece o Torneio de Beach Tennis, Mãe e Filhos. A competição tem 60 inscritos que foram divididos por categorias, sendo elas, infantil, juvenil e livre. Os competidores tem entre 06 e 73 anos. As competições iniciam as 18:00 e as disputas ocorrem nas cinco quadras de areia do complexo esportivo. Além de pontuar no ranking aberto da Arena F5 que definirá no fim do ano, os atletas campeões da temporada de 2022. Os vencedores do torneio Mãe e Filho, também levarão para casa medalhas e troféus. Os finalistas de cada categoria também receberão medalhas, durante a competição haverá sorteios de brindes. Demonstrando ser esporte acessível, e que permite que pessoas de qualquer idade possa praticá-lo, a competição tem como o mais jovem inscrito uma criança de seis anos. A competidora com mais idade tem 73 anos. Além da competição o evento tem como principal objetivo aproximar ainda mais Mães e filhos e proporcionar momentos de lazer e diversão.


Primavera do Leste, 04/05/2022 às 20:39 por
universoagro - Agricultura - 04/05/2022
O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participou, nesta quarta-feira (4), do evento Produção Nacional de Fertilizantes, que discute os impactos econômicos, ambientais e sociais do setor de fertilizantes. Durante a palestra, o ministro ressaltou que o Brasil é um dos maiores consumidores do mundo e por isso a importância do Plano Nacional de Fertilizantes para atender a demanda do País. “Somos um dos maiores importadores de fertilizantes. No entanto, não somos grandes produtores, situação que nos diferencia de outros grandes consumidores e expõe a riscos de abastecimento, como vivenciado a partir dos conflitos internacionais atuais. Diante disso, é preciso compreender as oportunidades de expansão da produção e endereçar os desafios apresentados para construirmos uma capacidade produtiva igualmente relevante”, ressalta o ministro. Bento Albuquerque também destacou a importância da atuação do Ministério de Minas e Energia (MME) para fomento do setor de fertilizantes. Segundo o ministro, o Brasil possui um grande volume de reservas de potássio e fosfato, minerais estratégicos para produção de fertilizantes, além de três grandes projetos em andamento, como o Projeto Potássio de Autazes, Projeto Três Estradas e Projeto Santa Quitéria. No evento, também foram debatidas as iniciativas do governo e do setor privado para ampliar os investimentos na produção mineral, as alternativas nacionais de recursos minerais e a necessidade de conciliar segurança jurídica, preservação ambiental e proteção das comunidades. O Procurador Geral da República, Augusto Aras, destacou a importante atuação da segurança jurídica em prol do desenvolvimento: “Conseguimos promover o desenvolvimento sustentável, econômico, social e ambiental, além daquilo que a constituição coloca como fundamental – reduzir as desigualdades sociais e regionais, promovendo uma sociedade livre, justa e solidária”. O evento é resultado da cooperação técnica firmada pelo MME, o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Também estiveram presentes o ministro do Mapa, Marcos Pontes, e o secretário especial de assuntos estratégicos da Presidência da República, Flávio Rocha.


Primavera do Leste, 02/05/2022 às 20:28 por
AgroLink - Notícias - 02/05/2022
Conflitos, crises políticas e econômicas afetam muito a variação de preços e disponibilidade das commodities e insumos agrícolas não só no Brasil, mas em várias regiões do mundo. Quando países que produzem e exportam muita matéria-prima e alimentos vivenciam períodos como o atual, as ferramentas desenvolvidas para melhor gestão e operação no campo se tornam ainda mais importantes. O agricultor, afetado diretamente, precisa ter meios para evitar o desperdício e o uso ineficiente de insumos. Caso contrário, irá amargar prejuízo na conta final tendo maior custo de produção e rendimento inferior. Com as possibilidades tecnológicas hoje disponíveis, é possível que ele tenha ferramentas como o aplicativo Dose Certa, desenvolvido pela FertiSystem, empresa de Passo Fundo/RS, especializada em inovações para a plantabilidade. O App Dose Certa auxilia a operação e os cálculos de plantio com a precisão na regulagem da máquina. “Ele ampara o agricultor para não desperdiçar fertilizante, é algo que trará um retorno financeiro considerável no final do plantio e por isso tem um valor agregado muito grande em sua utilização”, destaca Alexandre Zanella, gerente de engenharia e P&D da FertiSystem. Conceito A regulagem correta da dosagem de fertilizante é um desafio para os agricultores. Geralmente é feita através das indicações presentes nas tabelas afixadas nas máquinas, que são elaboradas com base em um único tipo de granulometria. Porém, a granulometria pode variar conforme o tipo e a marca do fertilizante. O aplicativo Dose Certa foi desenvolvido para facilitar o cálculo durante a regulagem de adubo de plantadeiras e semeadoras de uma maneira correta e eficaz. “O produtor tem duas opções: quantas gramas de fertilizante terá que coletar baseado numa dose em kg/há ou informar quantas gramas coletou, que será convertida em kg/há após o cálculo automático, sempre considerando o espaçamento entre linhas e a distância percorrida”, detalhe Zanella. Essa operação automatizada elimina erros de cálculos comumente ocorridos durante as calibragens de fertilizantes, gerando economia e precisão na operação de plantio. Só ganhos Segundo o gerente, os ganhos diretos da ferramenta estão relacionados com a agilidade do processo, manuseio e tomada de decisão. De forma indireta, ele ratifica que com a dosagem correta de fertilizantes o produtor também poderá alcançar mais qualidade na operação, gerando produtividade na lavoura, proteção do solo e redução dos efeitos negativos ao meio ambiente. “Existem diversos trabalhos sobre a distribuição precisa e adequada de fertilizantes e como esse processo impacta em um melhor rendimento da lavoura e na economia de insumo. Tendo esses dados é visível que o aplicativo auxilia de forma direta no custo e no quanto o agricultor poderá economizar”, destaca. Como usar Para ter acesso à ferramenta, basta pesquisar pelo nome Dose Certa FertiSystem nas plataformas de celular App Store ou Google Play Store, e baixar. Para iniciar a operação, a empresa indica acoplar um recipiente no distribuidor de fertilizante do maquinário. Em seguida, percorrer com a máquina uma distância de 50 a 100 metros e pesar o fertilizante coletado. Nesse momento, é só descrever o peso, em gramas, no aplicativo, que dará todos os dados necessários da distribuição. “O App Dose Certa foi idealizado para otimizar e facilitar o trabalho dos produtores e técnicos de plantio, trazendo auxílio em uma regulagem mais rápida e assertiva, e gerando não só economia de fertilizante, mas também de tempo e dinheiro”, finaliza o profissional.


Primavera do Leste, 29/04/2022 às 18:48 por
universoagro - Sustentabilidade - 29/04/2022
O Sistema CNA/Senar promoveu a live “Bioinsumos na manutenção da fertilidade do solo”, nesta quinta-feira (28). O encontro foi moderado pelo engenheiro agrônomo e egresso do programa CNA Jovem, Murilo Nunes Valenciano, e contou com a participação da pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo, Christiane Abreu de Oliveira Paiva; da engenheira agrônoma e egressa do CNA Jovem, Maria Iderlane de Freitas; e do professor na Universidade Federal de Lavras (UFLA), Paulo Henrique Leme. Murilo e Maria Iderlane são integantes da Equipe EducaAgro, vencedora do CNA Jovem 2020/21 com o desenvolvimento do Núcleo de Inteligência em Bioinsumos. Ele destacou a importância de debater o tema em um momento conturbado em que se torna fundamental buscar formas alternativas para conservar a fertilidade do solo e as altas produtividades da agricultura brasileira. Christiane Abreu de Oliveira Paiva abordou o tema “Bacterias e fungos: ciclagem eficiente de nutrientes antes da era dos fertilizantes”. Ela falou sobre soluções biológicas para o aumento da eficiência de uso de nutrientes, inoculantes microbiológicos para mitigar estresse e ciclagem eficiente de fósforo no sistema de produção, além de apresentar o portifólio de bioinsumos da Embrapa. Maria Iderlane contou como surgiu a ideia de criar o Núcleo de Inteligência em Bioinsumos - ambiente de informações e de conexão com especialistas para viabilizar o uso seguro desse tipo de produto. A egressa do CNA Jovem fez uma apresentação para explicar as diferenças entre fertilizantes, bioinsumos, biofertilizantes, inoculantes, condicionadres de solo e remineralizadores de solo. “Em 2021, 85% dos fertilizantes utilizados no Brasil foram importados. A implementação de estratégias que viabilizem a produção agrícola e minimizem a dependência de insumos externos, como o uso de insumos biológicos à base de resíduos orgânicos eou de microorganismos e/ou de microrganismos é fundamental”, afirmou. O professor da UFLA, que foi mentor do grupo EducaAgro no CNA Jovem, ressaltou a importância da divulgação e extensão do conhecimento sobre bioinsumos. Segundo ele, o mercado de bioinsumos foi de R$ 1,7 bilhão no Brasil, em 2020/21, o que significa um aumento de 37% em relação ao ano anterior. O mercado mundial gira em torno de U$ 5 bilhões e deve crescer 107% até 2030. “É um momento econômico propício para a expansão de bioinsumos. Os agricultores brasileiros têm aproveitado a oportunidade de trabalhar com os bioinsumos e entendido que esses produtos, além de serem uma alternativa ecológica e econômica, podem dar uma liberdade maior para que eles possam fazer o manejo de suas lavouras”, disse Paulo Henrique Leme.


Primavera do Leste, 28/04/2022 às 19:11 por
AgroLink - Notícias - 28/04/2022
O estudo IoT Snapshot 2022, conduzido pela Logicalis, indicou que os setores de agronegócio e manufatura são os líderes de planos de Internet das Coisas (IoT) no Brasil, segundo o portal especializado It Fórum. “No Brasil, os setores do agronegócio (50%) e manufatura (49%) são aqueles que mais concentram planos concretos de investimento. Na América Hispânica o segmento de Utilities se destaca, com 56% das empresas almejando implementar a tecnologia de IoT em seus negócios, seguido pela área de serviços (40%)”, diz o portal. “Ao longo do desenvolvimento desta edição, fomos consolidando uma visão de que a tecnologia tem o potencial para transformar e resolver problemas e desafios dos mais diversos setores do mercado. Passamos pela fase de provar que IoT funciona e estamos agora no momento de mostrar os resultados reais da tecnologia”, afirma Yassuki Takano, diretor de Consulting Services na Logicalis. Segundo eles, os dados demonstram que, de maneira generalizada, apesar de ainda existir uma longa jornada de conhecimento a ser trilhada dentro das organizações, elas já estão se mobilizando para mudar esse cenário. Sendo assim, há perspectivas positivas com a amplificação e a aceleração da digitalização. “Se as tendências de investimento e captura de benefícios com as soluções se mantiverem, será questão de tempo para que vejamos dados ainda mais impactantes nas próximas edições do IoT Snapshot”, conclui. Internet das coisas é um conceito que se refere à interconexão digital de objetos cotidianos com a internet, conexão dos objetos mais do que das pessoas. Em outras palavras, a internet das coisas nada mais é que uma rede de objetos físicos capaz de reunir e de transmitir dados.


Primavera do Leste, 27/04/2022 às 18:13 por
universoagro - Agricultura - 27/04/2022
Após dois meses do início do conflito militar na Ucrânia, a crise dos fertilizantes continua. Com incertezas sobre um possível embargo aos produtos vindos da Rússia e Bielorrússia, o setor do agronegócio fortalece a importação do insumo para abastecer a produção nacional. Ao todo, cerca de 85% dos fertilizantes usados no Brasil são produzidos em outros países. Fábio Pizzamiglio, diretor da Efficienza, empresa especializada em comércio exterior, aponta para o aumento da compra dos produtos pelos produtores nacionais, “com a possibilidade de uma sanção, os produtores buscam reforçar os seus estoques, com o objetivo de manutenção da produção nacional”. Na última semana, o Governo brasileiro solicitou à OMC (Organização Mundial do Comércio), a manutenção do comércio internacional do insumo enquanto durar a Guerra na Ucrânia. Para Fábio, esta manutenção é necessária, já que “25% dos fertilizantes utilizados no Brasil vêm de países que atualmente estão envolvidos diretamente no conflito”, afirma o executivo. O executivo da Efficienza defende o enfrentamento da questão a partir de dois aspectos: a diversificação da importação e o aumento da produção nacional. “Precisamos aumentar os esforços para a gestão dessa importação para os próximos anos. O Plano Nacional de Fertilizantes é uma solução adequada, mas em longo prazo. Até lá, será necessária uma diversificação maior dos fornecedores”, afirma. O especialista também explica que, enquanto durar a Guerra na Ucrânia, o valor do produto continuará elevado, algo que gera um impacto direto na inflação. Ao mesmo tempo, a demanda pelo produto permanece elevada, um fator que pode ser sentido nos portos do Brasil. Na última semana, o Estado do Paraná atualizou as regras para acelerar a movimentação do produto. “É de suma importância ver esse movimento, em um momento de crise, em que podemos estar desabastecidos, precisamos adequar os portos para manter o agronegócio do país. É uma questão de segurança alimentar, para o Brasil e para o mundo”, defendeu. Entre janeiro e março de 2022, foram desembarcadas um total de 3.068.596 toneladas de fertilizantes nos portos do Paraná, um número 26% maior que no mesmo período do ano anterior.


Primavera do Leste, 25/04/2022 às 19:55 por
universoagro - Agricultura - 25/04/2022
A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) vai promover uma audiência pública na quinta-feira (28), às 8h, para debater a utilização de remineralizadores como alternativa de manejo e uso de solos. De acordo com o site da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), os remineralizadores de solos são insumos minerais que podem fornecer macronutrientes e micronutrientes, além de outros elementos benéficos para as plantas. Podem ser aproveitados elementos como cálcio, magnésio, potássio, cobre, ferro, manganês, silício e zinco. Os remineralizadores são regulamentados no Brasil pela Lei 12.890/2013 e a Instrução Normativa 05/2016 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). “A regulamentação é uma garantia para os produtores e consumidores dos remineralizadores de solo, pois impõe critérios de produção, registro e comércio desses novos insumos", explica o site da Embrapa. Determinadas rochas silicáticas moídas apresentam características como remineralizadores de solos, uma das categorias de agrominerais silicáticos. Elas têm o potencial de atuar como condicionadores de solo, como fornecedores de nutrientes regionais, além de formarem novas fases minerais funcionais no solo. Estudos de eficiência agronômica indicam que agrominerais aplicados ao solo apresentam efeitos de curto, médio e longo prazos em sistemas de cultivos anuais. “Novos estudos, no entanto, são necessários para avaliar a tecnologia de manejo destes insumos e em diferentes sistemas de cultivos”, observa a publicação.


Primavera do Leste, 24/04/2022 às 20:37 por
Clique F5 - 24/04/2022
Estão a venda ao valor de R$ 10, os ingressos para assistir a partida de estreia do Primavera Atlético Clube na série B do Campeonato Mato-grossense de Futebol. O jogo ocorre no próximo domingo (24), no estádio Cerradão, em Primavera do Leste, a partir das 15:00 contra o Araguaia. Os ingressos podem ser adquiridos nas Drogarias Ultrapopular da Rua Piracicaba e da Avenida Porto Alegre, até este sábado (23). No dia do jogo, os ingressos serão vendidos na portaria. Ao todo serão disponibilizados 550 ingressos.


Primavera do Leste, 15/04/2022 às 16:24 por
AgroLink - Notícias - 15/04/2022
É “um absurdo” o Brasil, nas condições que possui, ter dependência externa de fertilizantes. Essa é a opinião da presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional CRE, senadora Kátia Abreu (PP-TO), que participou essa semana de audiência pública com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França. “É impressionante a hipocrisia aqui em torno dos fertilizantes. Temos água, solo, temperatura e tecnologia de ponta, mas não podemos produzir fertilizantes. Impomos uma insegurança alimentar monstruosa a nós mesmos ao não termos o principal insumo, que é jogar tudo na terra com a tecnologia que possuímos, mas sem fertilizantes. O ambientalismo é chave para o Brasil, mas desconsiderar a autonomia nos fertilizantes é complicado. Sem comida não se vive, não podemos fingir que nada está ocorrendo”, disse a senadora


Primavera do Leste, 14/04/2022 às 18:37 por
AgroLink - Notícias - 14/04/2022
O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) promoveu a live “Como a transformação digital está impactando na agricultura”, na terça (12). O encontro foi moderado pelo assessor técnico do Senar, Rafael Diego Costa, e teve como debatedores o engenheiro agrônomo e professor de Agronomia da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Aluízio Borém, e o engenheiro agrícola e ambiental e professor da UFV, Sárvio Valente. Os participantes analisaram a difusão de novas tecnologias e os impactos gerados no setor agropecuário, como aumento da produtividade, melhoria da gestão e redução no uso de insumos. Eles conversaram sobre temas como Big Data, Internet das Coisas (IOT), business intelligence, realidade virtual e revolução 4.0, entre outros.


Primavera do Leste, 13/04/2022 às 21:09 por
AgroLink - Notícias - 13/04/2022
Às vésperas da Páscoa e diante do registro de dezenas de casos, na semana passada, de salmonela causada por chocolates Kinder no Reino Unido, o Ministério da Justiça e Segurança Pública notificou a fabricante Ferrero do Brasil. Por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), a pasta determinou que a Ferrero do Brasil formalize o recall do chocolate Kinder ou apresente esclarecimentos sobre a segurança do produto.


Primavera do Leste, 11/04/2022 às 19:51 por
universoagro - Agricultura - 11/04/2022
Uma ação de fiscalização conjunta entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) apreendeu cerca de 20 mil litros de defensivos agrícolas e 600 quilos de agrotóxicos fraudados. A operação foi realizada no estado de Mato Grosso e teve como objetivo fiscalizar propriedades rurais e operadores aeroagrícolas quanto às atividades de aviação agrícola e uso de agrotóxicos. “Além da apreensão de agrotóxicos sem registro, a força-tarefa focou em buscar operadores clandestinos, ou seja, que operam as aeronaves sem registro no Mapa”, destaca a chefe da Divisão de Aviação Agrícola da Secretaria de Defesa Agropecuária, Uéllen Lisoski.


Primavera do Leste, 08/04/2022 às 20:21 por
AgroLink - Notícias - 08/04/2022
O Índice de Poder de Compra de Fertilizantes (IPCF) de março fechou em 1,56, representando um aumento em relação a fevereiro (1,27). O preço médio dos adubos aumentou em março, puxado principalmente pelos riscos à matriz de abastecimento, atrelados ao conflito entre Rússia e Ucrânia, um cenário sem precedente na história. Importante salientar que o cenário atual é repleto de incertezas, o que potencializa a volatilidade no mercado e em toda a sua cadeia. Desde o início do conflito, os preços do fósforo, potássio e nitrogenados tiveram aumento. Esse cenário é replicado também para as matérias-primas como gás natural, enxofre e amônia.


Primavera do Leste, 07/04/2022 às 22:23 por
Clique F5 - 07/04/2022
O compromisso com a sustentabilidade permeia os trabalhos desenvolvidos pelas unidades operacionais da Aegea Saneamento, holding que busca melhorias contínuas na qualidade de vida de milhares de pessoas que habitam os municípios onde atua. Além dos investimentos constantes em infraestrutura para a universalização do serviço de saneamento básico, a Aegea também concentra esforços na redução de perdas de água e no consumo de energia limpa. Na próxima quarta-feira (13.04), a Aegea Saneamento, Brasol Soluções Energéticos, empresa com capital Siemens, e Oeste Solar Energia, inauguram quatro usinas solares para atender ao consumo energético das operações das concessionárias em Mato Grosso: Águas de Poconé, Águas de Primavera, Águas de Campo Verde e Águas de Sinop. O loteamento de geração distribuída de energia solar fica localizado no km 9 da Estrada da Guia, em Cuiabá, e conta com 200 hectares. As quatro usinas que serão inauguradas têm uma capacidade de geração próxima a 200MWh/mês, o que seria equivalente a energia para suprir cerca de 1.300 residências, capazes de suprir cerca de 15% da energia das unidades que serão atendidas nas cidades de Campo Verde, Poconé, Primavera do Leste e Sinop. A energia solar representa um modo de produção energética renovável, sem praticamente nenhum impacto ambiental. Por isso, algumas unidades da Aegea já operam também com energia solar. “Esse projeto é extremamente importante para nós da Aegea, pois atuamos em prol do fortalecimento da transição energética do nosso país com a implementação de projetos de energia renovável como este. A empresa tem avançado em sólidas parcerias e já possui cerca de 50MWp de projetos de Geração Distribuída em operação/implementação em nove diferentes estados do Brasil”, destaca o gerente de Gestão de Energia e Eficiência Energética da Aegea Saneamento, Emerson Santana Rocha. A iniciativa integra o pilar ambiental da política de sustentabilidade da Aegea Saneamento. Fazem parte desse pilar a gestão dos aspectos e impactos associados às atividades desenvolvidas pelo grupo; busca contínua pela eficiência energética; utilização sustentável dos recursos naturais, em especial da água; e melhoria contínua do desempenho ambiental.


Primavera do Leste, 05/04/2022 às 19:57 por
AgroLink - Notícias - 05/04/2022
O agronegócio nacional se viu de frente com uma problemática inesperada: um conflito no Leste Europeu, entre Rússia e Ucrânia, que pode afetar diretamente as produções brasileiras. Isso porque o país importa 85% dos fertilizantes que utiliza (principalmente potássio), dos quais os russos são responsáveis por mais de 20%. O trabalho, agora, é reverter esse cenário, buscando soluções que garantam menor dependência desses insumos importados, especialmente para os pequenos produtores que, com menor caixa para compor estoque, se mantêm em estado de preocupação constante com o futuro de suas lavouras.


Primavera do Leste, 04/04/2022 às 19:45 por
AgroLink - Notícias - 04/04/2022
Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) estudam a aplicação de adubos orgânicos, produzidos a partir da compostagem do lodo proveniente do tratamento do esgoto, a fim de determinar as melhores práticas de manejo do composto em lavouras. Entre as investigações realizadas, houve resultados positivos no uso do adubo como fonte orgânica de nutrientes para o solo do Cerrado, em culturas de milho e soja. Em uma das etapas da pesquisa, desenvolvida durante o projeto de mestrado de Adrielle Rodrigues Prates, os dados mostraram que a aplicação do composto oriundo do tratamento de esgoto aumentou a concentração de micronutrientes no solo e nas folhas, além de elevar em 67% a produtividade da soja, em comparação com a média brasileira.


Primavera do Leste, 02/04/2022 às 20:41 por
AGROLINK - Logística - 02/04/2022
Os preços dos fretes rodoviários e marítimos têm atingido níveis recordes nos últimos dois anos.


Primavera do Leste, 04/03/2022 às 18:23 por
Notícias Agrícolas - Agronegócio - 04/03/2022
Há pouco, nesta sexta-feira (04), a Rússia informou, através do Ministério do Comércio e Indústria, a recomendação de suspensão temporária das exportações de fertilizantes pelos produtores do país. O Notícias Agrícolas confirmou a decisão através do site da pasta russa. “Levando em conta a situação atual com o trabalho dos operadores logísticos estrangeiros e os riscos associados a eles, o Ministério da Indústria e Comércio da Rússia foi obrigado a recomendar aos fabricantes russos que suspendam temporariamente o envio de fertilizantes russos para exportação até que os transportadores retomem o ritmo de trabalho e forneçam garantias para a implementação completa das entregas de exportação de fertilizantes russos”, disse a nota.


Primavera do Leste, 03/03/2022 às 18:35 por
Cruzeiro do Sul - Economia - 03/03/2022
O estoque de fertilizantes para o agronegócio no Brasil está garantido até outubro. A avaliação é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (2), ela garantiu que não há problemas com a safra neste momento, no entanto, a safra de verão, no final de setembro e outubro, gera preocupação. Lembrou que a safrinha de milho já está em produção. "Então, o que precisava de fertilizante já chegou, já está com o produtor rural. Neste momento não temos problema. A safra de verão é uma preocupação", disse. Ela acrescentou, entretanto, que o setor privado confirmou a existência de estoque de passagem de fertilizantes suficiente até outubro. O alerta sobre o mercado internacional de fertilizantes vem desde fevereiro quando começaram as sanções econômicas em Belarus. As exportações do produto estão suspensas para o Brasil por causa do fechamento dos portos da Lituânia para o escoamento de fertilizantes e agora com o apoio à Rússia na guerra contra a Ucrânia, o país do leste europeu sofreu novas sanções. O cenário se agravou ainda com o início da guerra. Isto porque, além da Belarus, a própria Rússia é o principal fornecedor do produto para o mercado brasileiro.


Primavera do Leste, 01/03/2022 às 09:12 por
universoagro - Sustentabilidade - 28/02/2022
Um relatório lançado, nesta segunda-feira (28), pelo Painel Intergovernamental da ONU sobre Mudança Climática, IPCC, mostra que “o colapso do ecossistema, a extinção de espécies, ondas de calor fatais e enchentes estão entre os perigos inevitáveis” que o mundo enfrentará nos próximos 20 anos devido ao aquecimento global.


Primavera do Leste, 24/02/2022 às 11:32 por
Clique F5 - 24/02/2022


Primavera do Leste, 18/02/2022 às 20:15 por
universoagro - Agricultura - 18/02/2022
Os dados levantados demonstram o potencial que as agroindústrias familiares têm para gerar renda e ocupação nos municípios mineiros, além de ser uma atividade que valoriza e preserva a cultura e a tradição das regiões. A execução de políticas públicas de apoio à produção e à regularização das agroindústrias é fundamental. A inserção da produção da agricultura familiar ao mercado formal, permitindo as vendas em todo o Estado e no país, depende da habilitação sanitária.


INíCIO
ANTERIOR
1 de 1
PRÓXIMA
ÚLTIMA