MUDANÇAS /

Segunda-feira, 30 de Março de 2020, 07h:00

A | A | A

Novo decreto permite a abertura dos comércios em Primavera do Leste

A publicação tem validade a partir de hoje (30). Festas, missas, funcionamento de casas de shows, embarque e desembarque de passageiros e funcionamento de bancos continuam suspensos.


Imagem de Capa
JAQUELINE HATAMOTO / WELLINGTON CAMUCI

Foi publicado na sexta-feira (27), o decreto 1.905/20 que dispõe sobre alterações aos decretos municipais nº 1.897 e nº 1.900 e traz novas medidas temporárias de prevenção e enfrentamento da propagação decorrente do novo Coronavirus (Covid19), no município de Primavera do Leste. Entre as principais mudanças está liberação de funcionamento do comércio normalmente, seguindo todas as normas de segurança, no horário estabelecido em alvará. E de supermercados, que passam a atender quatro clientes por caixa em funcionamento. As medidas começam a valer partir de hoje (30).

Em coletiva, o prefeito Leonardo Bortolin ressaltou que as medidas foram tomadas em conjunto com entidades, representantes da OAB, sindicato dos comerciários, Aciple, Câmara dos vereadores e demais seguimentos da sociedade.

“Todas as medidas que estão sendo tomadas em Primavera, elas não são assinadas simplesmente pelo prefeito, mas por todas as entidades. No decorrer dessa semana, nós sentamos com vários seguimentos, só entre ontem e hoje foram 11 seguimentos. Nós tínhamos uma instrução, um decreto que assim como hoje será publicado outro, pode ser que a semana que vem tenha outro e é importante que a população, acima de tudo, leia o decreto, interprete, tire as dúvidas, por exemplo, tinha gente – Ah, mas como vai ficar as indústrias? – As indústrias não mudaram nada em nenhum decreto, porque as indústrias ela não tem um conglomerado de clientes, você tem o número de seus colaboradores ali e você sabe quem é quem, se alguém está sintomático é a questão de dar a dispensa”, frisou Bortolin.

O prefeito fez questão de destacar que o funcionamento do comércio em geral nunca foi proibido. “O horário de funcionamento era das 07h às 13h e a parte da tarde para trabalho interno. Por quê? O que que se quer evitar com isso? Há um círculo de pessoas, por exemplo, clientes dentro da loja, principalmente quando a loja é fechada, respirando o mesmo ar, na proximidade das pessoas, então, atendendo a demanda do comitê gestor, aonde aqui agradeço mais uma vez o Bira que esteve conosco esse tempo todo, representa o seguimento assim como o seu Naudir, os comércios em geral, eles estão regulamentados no novo decreto, eles passam a poder a trabalhar a partir de segunda-feira no expediente do alvará, desde que, tomadas as medidas de precaução. Eu acredito que é o momento que todo mundo está com dificuldades, não é um momento fácil para ninguém, mas aqui não aconteceu como Rondonópolis, como Sinop, Sorriso, que houve um fechamento geral de tudo. Aqui nós temos que ter o bom senso, não adianta ninguém trabalhar sobre pressão e nem ficar numa queda de braço, onde parte da população quer tudo fechado, parte quer tudo trabalhando como era antes. Como era antes, não vai ser, tem segmentos que vai sentir mais que os outros, que é o caso dos restaurantes, dos bares, lanchonetes, as boates que tem que ficar fechada, isso é entendimento do MP, da regulamentação estadual, da regulamentação federal, então cada seguimento tem que ver a sua orientação”, explicou.

Outra mudança importante está na liberação de funcionamento de Casas Lotéricas e locais voltados a estética, como salões de beleza e barbearias, bem como de comércios localizados dentro da Rodoviária. Porém, o embarque e desembarque de passageiros continua proibido, assim como o atendimento presencial nos bancos e cooperativas de crédito, que decidiram entre eles manter o atendimento presencial suspenso.  “Os comércios da rodoviária podem funcionar, por exemplo, a barbearia passa a poder funcionar, a parte do restaurante, desde que acertado nas condições de retirada balcão ou delivery, que é o caso das marmitarias também. Mas o fluxo de ônibus não, porque tem se identificado em todos os lugares, que o lugar de maior proliferação, onde que é o corredor de entrada da cidade? Onde você recebe os visitantes? Você não consegue impedir um carro de entrar, mas um ônibus com 50 passageiros que vem de São Paulo e vai para Brasília, a possibilidade, imagina o ambiente do ônibus que é fechado, você respira o mesmo ar, que a temperatura, ela é propícia para o vírus, a pessoa desce na rodoviária, ela está trazendo a contaminação para cá”, ponderou o prefeito.

Além da suspensão de funcionamento de bares, boates, casas de show, também continuam suspensas a realização de cultos e missas. “As igrejas estão abertas, nada impede do cidadão ir lá fazer a sua oração, falar com Deus, mas os cultos, os eventos religiosos estão suspensos. Mas quem definiu isso foi o prefeito? Não, é uma decisão do comitê gestor junto com o seguimento católico e evangélico e se adapta a todas as demais religiões que merecem respeito. Ah, mas por quê? Você consegue impedir um idoso que é faixa de risco de ir à igreja, se a igreja estiver aberta e tiver tendo culto e missa? Um ambiente fresquinho, se alguém tosse, está contaminado, não vai contaminar todo o ambiente? Então é diferente de um outro comércio que você tem uma circulação, que você tem uma movimentação, então é diferente e a categoria entendeu isso”. Declarou Bortolin.

 

ECONOMIA

Representantes da Aciple e CDL também participaram da coletiva e ressaltaram a preocupação com a economia e acima de tudo com a saúde das pessoas. “Então a gente está preocupado com os comércios, com os pequenos comércios, até fazer um apelo aqui para toda a sociedade, procurar comprar no comércio da nossa cidade, é um momento de todos se ajudarem agora. O comércio, mesmo ele se abrindo, as pessoas estão com receio de sair às ruas para comprar, estão se prevenindo, isso não é ruim. Se prevenir? Tem mesmo que se prevenir, principalmente as pessoas vulneráveis, as pessoas que nós amamos, cada família cuidando das pessoas acima de 60 anos e as pessoas que são vulneráveis. Então, eu creio que a sociedade de Primavera está cada vez mais consciente desses riscos, está se preservando, se cuidando, temos que continuar se cuidando”, ressaltou Ubiratan Ferreira, presidente da Aciple.

Bira destacou ainda que o momento pede cautela e cuidados redobrados e pediu a colaboração de todos os comerciantes da cidade. “Quero pedir aos empresários pequenos, médios e grandes, vamos abrir com toda a cautela, com todo cuidado. A economia ela precisa girar, os empregos precisam ser preservados, nós não queremos que haja desemprego”.

A vereadora Carmen Betti, frisou que todas as decisões tomadas levaram em consideração a vontade de cada categoria. “Estamos participando de todas as decisões que estão sendo tomadas, principalmente desse último decreto em que a gente ouviu cada categoria, se sensibilizou frente as dificuldades de cada uma e ao mesmo tempo nos resguardando do quanto a gente tem que ser cuidadoso, criterioso em relação a essa situação que hoje está acometendo o mundo inteiro”, explicou.

O prefeito finalizou a coletiva dizendo que “O decreto da prefeitura é baseado em determinação do MP e de normativas do estado e do governo federal. Então, se você pegar o decreto do estado também é a mesma coisa, se você pegar o federal, é a mesma coisa, então, não adianta – Ah, o prefeito tem que mudar, o comitê tem que mudar! – isso nós vamos construir juntos com cada categoria”, finalizou Bortolin.

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz