propaganda

ECONOMIA /

Sexta-feira, 23 de Abril de 2021, 17h:16

A | A | A

Aneel aprova reajuste tarifário em MT duas semanas após prometer suspensão

O reajuste atinge 1,5 milhão de unidades consumidoras no Mato Grosso e, nas residências, a taxa de energia passa a ser 7,29% mais alta


Imagem de Capa
G1 . COM

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, na semana passada o reajuste tarifário de 2021 da concessionária Energisa, de Mato Grosso. A mudança acontece duas semanas depois da Agência ter prometido a suspensão do aumento em reunião com o deputado estadual Faissal Kalil (PV).

Segundo a Aneel, o reajuste atinge 1,5 milhão de unidades consumidoras situadas nos 141 municípios de Mato Grosso e começará a ser cobrado imediatamente. Nas residências, a taxa de energia passa a ser 7,29% mais alta.

Na reunião com Faissal Kalil, o diretor da Aneel Sandoval Feitosa citou a gravidade dos efeitos da pandemia de Covid-19 e declarou que iria postergar as tarifas vigentes. Incialmente, o reajuste aconteceria no dia 8 de abril. O acordo, entretanto, só durou duas semanas.

“Não estaremos aplicando o reajuste neste momento, mas sim postergando as tarifas atualmente vigentes. A pandemia de Covid-19 gerou uma série de efeitos negativos na sociedade brasileira, que impactou nas tarifas de energia elétrica. Diversas medidas foram tomadas pela Aneel e governo Federal, com o propósito de manter a sustentabilidade do setor e conter tarifas não razoáveis aos consumidores. Por conta disso, entendo necessária a postergação da vigência das tarifas da Energisa de Mato Grosso”, disse na ocasião.

No entanto, ao aprovar o reajuste em reunião nesta quinta (22), a diretoria da Aneel informou que a medida tomada para mitigar os efeitos sociais da pandemia foi manter o reajuste na casa de um dígito. A Aneel também afirmou que o trabalho foi realizado "com total transparência com os agentes e respeitando rigorosamente os compromissos previstos em contratos".

"As medidas tomadas pela Agência são pautadas pela legalidade e pelo extremo rigor técnico regulatório. A ANEEL está sensível à gravidade dos efeitos da pandemia da Covid-19 tanto para o consumidor final quanto para a necessária manutenção do equilíbrio econômico da concessão”, afirmou Sandoval Feitosa.

 

Reajuste nas empresas

Para as empresas com consumo de baixa tensão, as tarifas ficam 8,34% mais altas. Já para as indústrias, consumidoras de alta tensão, o novo valor será 10,36% mais alto.

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Caso a vacina para a Covid-19 seja liberada no Brasil, você pretende tomar?
Sim, se for a Chinesa
Sim, se for a Russa
Sim, se fosse outra
Nem pensar
Não tenho opinião formada sobre o assunto