INVESTIMENTO /

Sábado, 21 de Dezembro de 2019, 10h:55

A | A | A

Prefeitura aguarda liberação de licenças para iniciar obras de infraestrutura em Distrito Industrial Adevino Castelli

Serão onze empresas que gerarão aproximadamente 1.500 empregos diretos, com investimento aproximado de 100 milhões de reais


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

Falta muito pouco para que a industrialização em Primavera do Leste comece definitivamente. O poder público aguarda apenas a liberação das Licenças Prévias e de Instalação para iniciar as obras de infraestrutura do distrito industrial Adivino Castelli. Concluídas as obras de rede de água, esgoto, energia elétrica e pavimentação e com a liberação da Licença de operação (LO) pela SEMA, as empresas poderão iniciar as obras. Ao todo 11 empresas devem se instalar na área que tem 20 hectares divididos em 39 lotes, todas já ocupados.

“As empresas que se instalarão naquele Distrito Industrial já apresentaram documentos e propostas ao CODEPRIM e seus projetos ambientais e arquitetônicos estão em fase de aprovação pelos órgãos estaduais e municipais competentes. Serão onze empresas que gerarão aproximadamente 1.500 empregos diretos, com investimento aproximado de 100 milhões de reais”, ressaltou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Cátia Paim.

Paim destaca ainda que o prefeito Leonardo Bortolin e seu vice Sérgio Fava não tem medido esforços para atrair investidores, as reuniões com empresários e visitas a potenciais investidores acontecem constantemente. “A aprovação da LEI nº 1.779 de 21 de dezembro de 2018 que institui o Plano de Incentivo Industrial do Município de Primavera do Leste foi fato preponderante para a atração de novas indústrias, assim como as obras que estão sendo realizadas nos mais diversos setores, pois o empresário que vislumbra investir na cidade se preocupa com a qualidade de vida, saúde, educação e segurança que proporcionará aos trabalhadores e suas famílias”, destacou a secretária.

Pensando em 2020, a secretária acredita que a cidade se tornará um grande canteiro de obras e terra de muitas oportunidades.  “Acreditamos que no ano de 2020 Primavera do Leste será muito mais promissora. Novas indústrias e empresas de médio e grande porte iniciarão suas construções transformando a cidade em um grande canteiro de obras. Investimentos do setor público estão sendo feitos também no quesito qualificação de mão de obra, é preciso preparar a população para atender o mercado de trabalho, suas exigências e inovações tecnológicas. Primavera do Leste já é citada como potencial polo de industrialização e a busca pelo desenvolvimento neste setor será uma constante durante a gestão”, ponderou Cátia.

 

Quem empresas são essas?

Fábrica de sorvete, biogás, beneficiamento de sementes, defensivos agrícolas, cachaça, milho de pipoca e até ração para camelos são alguns dos produtos que serão produzidos em Primavera do Leste, por indústrias que irão se instalar no novo distrito industrial do município.

Antes do projeto de construção, as empresas precisaram apresentar um projeto mais burocrático, em que foi preciso apresentar diversos itens, entre eles os impactos na geração de emprego e renda. A instalação das indústrias foi aprovada pelo Conselho de Desenvolvimento de Primavera do Leste – Codeprim.   “Já ouve a reserva da área e o projeto será protocolado na prefeitura. Tiveram um prazo de 90 dias. O Poder Executivo aprovando, eles pagam a área e iniciam a obras. As empresas estão andando juntas e todos têm o financeiro para investir. Será um distrito que vai acoplar os mais variados segmentos e tudo com uma geração de emprego”, frisou o prefeito de Primavera do Leste Leonardo Bortolin em entrevista exclusiva ao jornal O Diário em julho deste ano.

Localizado às margens da BR 070, saída para Cuiabá, logo após a delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o distrito inicialmente terá capacidade para a instalação de 11 indústrias de médio e grande porte. Os recursos para a aquisição do terreno são provenientes da verba adquirida pela Prefeitura com o leilão de terrenos próprios localizados no Jardim Riva. “Esse distrito industrial será dedicado às grandes empresas geradoras de emprego e renda. Empresas de médio e grande porte, pois hoje temos distritos com área de 800 a mil metros, e nós estamos tratando hoje de empresas grandes geradoras de empregos”, frisou Bortolin.

 

LEI DE INCENTIVOS FOI APROVADA EM 2018

Pensando em atrair indústrias para cidade, no dia 21 de dezembro de 2018, foi publicada a Lei 1.779 que institui o Plano de Incentivo Industrial do Município.  O Plano apresenta alguns benefícios a indústrias que venham a se instalar, ou que venham a ampliar as instalações, desde que os investimentos sejam comprovadamente relevantes para a geração de divisas, geração de emprego e renda, e, acima de tudo, assegurem qualidade de vida à população, através da proteção e conservação ambiental.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz