propaganda

PROBLEMA RESOLVIDO /

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021, 06h:30

A | A | A

Transporte Coletivo: 7 empresas entregam proposta em licitação

Serviço será oferecido gratuitamente por 1 ano e terá quatro linhas cortando a cidade


Imagem de Capa
Wellington Camuci

R$ 790.926,73. Esse foi o valor ofertado pela empresa Aval Negociação e Intermediações Eireli para ofertar o serviço de transporte coletivo em Primavera do Leste pelo período de um ano. Caso a empresa seja declarada vencedora, o transporte coletivo pode funcionar já a partir da próxima semana.

A sessão de licitação foi realizada na manhã de sexta-feira (22), porém o resultado está suspenso, pois houve dúvidas quanto a análise de documentos relativo a qualificação econômica da empresa que ofertou menor valor. O documento segue em análise pelo Departamento Contábil e resultado deve ser divulgado nesta semana.

Ao todo, sete empresas apresentaram proposta para a prestação do serviço, porém, apenas três deram lances baixando o valor das propostas, sendo a Aval Negociação e Intermediações Eireli, Expresso Caribus e Transporte S/A e Personnalite Terceirizações LTDA.

De acordo com o pregoeiro Adriano Conceição de Paula, após análise e decisão do Departamento Contábil, será aberto prazo de recurso e de ampla defesa, totalizando seis dias úteis. Ele ressalta ainda que pelo menos duas empresas informaram que entrarão com recurso independente da decisão do setor contábil, assim, resultado deverá sair somente no final da primeira semana de novembro.

Reivindicação

 

TABELA_page-0001 (1).jpg

 

Durante a sessão de licitação, moradores dos bairros Buritis, Tuiuiú, Padre Onesto Costa, Guterres, Primavera III, 3 Américas e adjacências, entregaram um abaixo-assinado com cerca de 400 assinaturas, pedindo linhas de ônibus atendendo essas regiões. Na reivindicação, eles citam a falta de transporte e/ou horários para que possam se deslocar ao trabalho, sendo necessário o uso de transporte alternativo com os por aplicativos, gerando alto custo à população.

O transporte público em Primavera do Leste já é um problema há bastante tempo. Ônibus em péssimas condições, falta de transporte, falência, quebra de contrato, são apenas um dos problemas enfrentados pelos moradores que precisam do transporte para chegarem aos locais de trabalho.

A licitação atende o Termo de Ajustamento de Conduta – T.A.C 017/2021, firmado entre o Ministério Público Estadual de Mato Grosso e a prefeitura de Primavera do Leste.  Entre as cláusulas ajustadas, estava o comprometimento da prefeitura em reincidir o contrato de concessão existente no município, em prazo máximo de 30 dias.

No acordo assinado em julho deste ano, a prefeitura ainda se compromete a providenciar uma nova forma de realização do transporte público a população, ficando reservado ao ente municipal o direito a realização por meios próprios do transporte coletivo. E ainda a possibilidade de subsidiar as tarifas, em valores a serem aprovados em Lei própria, para contratação por pregão por prazo de até 12 (doze) meses, ou até mesmo a possibilidade de custeio integral do transporte público coletivo pelo município, ficando assim o transporte fornecido de forma gratuita à população.

Com custo estimado de R$ 1.134.000, a licitação aconteceu na sexta-feira (22), tendo com menor valor global a proposta da empresa Aval Negociação e Intermediações Eireli, o lance dado pela empresa foi de R$ 790.926,73, ou seja, um pouco mais de R$ 343 mil a menos do valor estimado.

De acordo com o edital da licitação, serão quatro linhas de ônibus ligando os bairros ao Centro, de manhã e tarde, sendo dois horários de ida e dois de volta, com saída dos pontos sentido ao centro na parte da manhã as 06:00 e retorno as 11:30 e no período vespertino 12:00 e retorno para região as 18:00, todos os dias.

Segundo o documento, as linhas são: Linha 1 – Tuiuiú/Parque Industrial; Linha 2 – Castelândia/IFMT; Linha 3 – Poncho Verde; Linha 4 - Primavera III. As quatro linhas sairão dos bairros em direção ao Centro passando por diversas ruas, atendendo a maior parte dos bairros.

No período de 12 meses em que a população não pagará pelo transporte, a prefeitura dará início ao estudo para a concessão. “Durante um ano, temos que trazer uma solução de uma empresa que aí vai poder fazer, e prestar serviço de qualidade por 15, 20 ou 30 anos. Isso quem vai dizer é o estudo, que vai amparar a concessão do mercado capital. Assim que a concessão sair e a empresa assumir, volta a cobrar o passe”, explicou o prefeito em entrevista concedida em julho.

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a redução de vereadores em Primavera do Leste?
Sim
Não, prefiro a redução do duodécimo
Não tenho opinião formada sobre o assunto