propaganda

ARTIGO /

Terça-feira, 02 de Agosto de 2022, 06h:30

A | A | A

ANSIEDADE

“A ansiedade não consegue mudar o futuro, mas se não for controlada ela pode destruir o seu presente.” (Zoe Lilly)


Imagem de Capa
Ernesto de Sousa Ferraz Neto

A ansiedade é um mal que assola a todos nós e quando for mal resolvida pode trazer sérias consequências, uma vez que o termo geralmente é usado para designar uma variedade de distúrbios que podem causar medo, nervosismo, apreensão e grandes preocupações.

Trata-se de uma reação que todas as pessoas experimentam diante de algumas situações corriqueiras, como por exemplo, falar em público, expectativa para acontecimentos e datas importantes; uma entrevista de emprego; vésperas de provas; exames de saúde entre outras. Considerada como uma emoção normal ao ser humano, decorrente de situações estressantes e quando excessiva pode se tornar uma doença (CID 10 F41.1 - denominada como o transtorno de ansiedade generalizada).

Para Charles Spurgeon “a ansiedade não tira o problema de amanhã, ela só tira a paz de hoje”. E Sêneca já afirmava que “Nada é tão lamentável e nocivo como antecipar desgraças”.

No entanto, algumas pessoas apresentam diferentes formas comportamentais de acordo com a intensidade e a frequência de ansiedade, que pode ser considerada patológica e comprometer a saúde emocional do seu portador.

Mas é fácil verificar quando a ansiedade normal extrapola os limites se tornando um transtorno.

É primordial aprender a controlá-la através dos gatilhos emocionais com o uso da psicoterapia, considerada como poderosa ferramenta para líder com as situações atuais que assolam crianças e adultos. Segundo George Bernard Shaw “a ansiedade e o medo envenenam o corpo e o espírito”

Os gatilhos emocionais podem ser facilmente identificados por meio de técnicas que podem ser realizadas por conta própria ou com ajuda de um terapeuta, pois muitas vezes, ela envolve o consumo excessivo de álcool, cafeína e até mesmo tabaco (cigarros).  Mas pode envolver outros aspectos menos óbvios.

Por outro lado, existem algumas outras ocorrências que eventualmente acontecem problemas (de longo ou curto prazo) como dificuldades financeiras ou situações relacionadas ao ambiente trabalho podem trazer algum tipo de aborrecimento e levar algum tempo até serem descobertos que também levam à ansiedade.

Os sintomas relacionados ao transtorno da ansiedade que merecem maiores cuidados são: excesso de cuidado (ou preocupação em excesso); apetite desenfreado, alteração do sono, tensão muscular (ou sintomas físicos); medo de falar em público; inquietação constante, pensamentos obsessivos, perfeccionismo, medos irracionais, entre outros. Na verdade, a ansiedade está muito próxima da preocupação excessiva ou medo (ou temor) de que algo não saia como o esperado.

Os ansiosos perdem em qualidade de vida, já que quando não controlada, a ansiedade pode causar o surgimento de enfermidades psicossomáticas, que em outras palavras são as doenças que afetam a saúde física e mental.

Há quem afirme que a ansiedade emagrece, dá espinha, tira a fome, dá enjoos e dores pelo corpo (físicas e psicológicas). Muitas vezes engorda e faz perder a concentração. Por isso deve ser evitada ou tratada.

Sabe-se que a gastrite, as úlceras, colites, taquicardia, hipertensão, cefaleia e alergias são alguns exemplos de doenças ocasionadas pela ansiedade.

É preciso ser paciente, mas não ao ponto de perder o desejo; e pode-se ser ansioso, mas não ao ponto de não saber esperar (Max Lucado).

 

*Ernesto de Sousa Ferraz Neto é professor da rede pública de ensino

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você apoia o pagamento de 13º salário para vereadores, prefeito, vice e secretários?
Sim
Não, eles já recebem demais.
Não tenho opinião formada sobre o assunto