Segunda-feira, 12 de Abril de 2021, 06h30
ACUSADO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Associação e Conselho da Mulher pedem que MP e Câmara investiguem caso que envolve vereador de Primavera
Luís Costa e esposa afirmam que não houve agressão e denunciam vazamento de informação a corregedoria da PJC

Jaqueline Hatamoto

As presidentes da Associação em Defesa e Garantia dos Direitos das Mulheres do Estado de Mato Grosso e do Conselho da Mulher de Primavera do Leste, enviaram ofícios ao Ministério Público Estadual – MPE, e à Câmara Municipal da cidade onde pedem providência quanto a denúncia feita contra o vereador Luís Costa. No mês passado, a esposa do parlamentar registrou um boletim de ocorrência, onde alegava ser vítima de violência psicológica. Apesar do registro o parlamentar nega as acusações e denunciou à corregedoria da Polícia Civil o vazamento do boletim de ocorrência sobre o fato.

Em ofício encaminhado ao MP, a presidente da Associação em Defesa e Garantia dos Direitos das Mulheres, Sandra Raquel Gomes, solicita que a promotoria investigue o fato, e caso seja averiguado que realmente ocorreu o que consta no boletim de ocorrência, que seja ajuizada uma ação penal e o parlamentar seja penalizado. 

Nossa equipe de reportagem tentou contato com o MP para saber quais medidas seriam tomadas, porém, até o fechamento desta reportagem não obtivemos respostas.

Já a presidente do Conselho da Mulher de Primavera do Leste, encaminhou um ofício à Câmara de Vereadores da cidade, onde solicita que o parlamentar seja investigado e sejam tomadas as providências necessárias sobre o assunto. “Mediante a confirmação das suspeitas agressões, que o vereador seja declarado incompatível com o decoro parlamentar e sofra penalidades dispostas no regimento interno”, cita o documento assinado pela presidente Eusenir Novaes.

 

VEREADOR E ESPOSA NEGAM AGRESSÃO

As advogadas de defesa da mulher do vereador Luís Costa, se manifestaram através de uma nota e também de um vídeo, onde garantem que sua cliente não sofreu nenhum tipo de agressão e que o boletim de ocorrência teria sido registrado afim de garantir direitos. “A Senhora Rosilene, que usou da ferramenta (Boletim de Ocorrência), justamente para fins de preservação dos direitos e integridade sua e de sua família (filho e marido), ficou estarrecida e muito abalada quando viu que sua intimidade fora exposta de forma ilegal, quando informações sigilosas foram publicadas na impressa local”, diz parte da nota emitida pelas advogadas de defesa.

Na tarde de quinta-feira (08), a mulher do vereador, publicou um vídeo em suas redes sociais onde explica novamente o que teria acontecido e novamente reafirma que não houve agressões. Pede que as pessoas a deixem e paz, e denuncia o vazamento de dados pessoais. “As pessoas deveriam estar preocupadas com os meus dados rodando por aí, tem meu telefone, tem o número dos meus documentos no que foi divulgado”, frisou Rosilene

Em sessão legislativa realizada na semana passada, ao fazer o uso da tribuna, o vereador Luís Costa ressaltou que não agride e nem nunca agrediu a esposa, e solicitou ao presidente da Câmara, que a Sala da Mulher convocasse sua esposa para que ela fosse ouvida. “Já que não há um conselho de Ética, eu peço que a Sala da mulher desta casa, convoque minha esposa e que ela seja ouvida”, ressaltou em discurso.

 

DENÚNCIA A CORREGEDORIA

Após a divulgação do Boletim de Ocorrência e do fato através de um site local, o vereador Luís Costa, protocolou uma denúncia junto a Corregedoria da Polícia Judiciária Civil, onde pede que seja averiguado o vazamento da informação, tendo em vista que o boletim de ocorrência, deveria ser mantido em sigilo, já que se trata de um caso de direito de família envolvendo um menor de idade.

“Isso já está sendo investigado, medidas extremas serão tomadas, e todas elas dentro da legalidade. Nós não vamos abrir mão de nenhuma para que a sociedade de Primavera do Leste possa ter a consciência e a certeza que o vereador Luís Costa é um parlamentar honesto e digno, como também é um homem de caráter e que merece respeito e não vai ser uma ou duas situações que vão derrubar o vereador”, afirma o advogado Daniel Ramalho, que faz parte a assessoria jurídica do parlamentar.

O vereador Luís Costa se diz vítima de perseguição e que em breve os culpados serão penalizados. “Toda essa situação que estou passando será investigada e os culpados serão penalizados”, concluiu o vereador.


Fonte: Clique F5
Visite o website: https://www.cliquef5.com.br