Nacional /

Domingo, 12 de Agosto de 2018, 11h:11

A | A | A

Explosão em depósito de armas mata pelo menos 39 pessoas na Síria

Observatório Sírio dos Direitos Humanos Explosão na Síria ocorreu na aldeia de Sarmada, na província de Idlib, no noroeste, perto da fronteira...


Imagem de Capa
Explosão na Síria ocorreu na aldeia de Sarmada, na província de Idlib, no noroeste, perto da fronteira com a Turquia
Observatório Sírio dos Direitos Humanos
Explosão na Síria ocorreu na aldeia de Sarmada, na província de Idlib, no noroeste, perto da fronteira com a Turquia

Ao menos 39 pessoas, dentre elas 12 crianças, morreram na tarde deste domingo (12) como consequência da explosão de um depósito de armas no norte da Síria. O número de vítimas ainda pode subir, mas as informações sobre a explosão na Síria estão sendo atualizadas constantemente pelo Observatório Sírio para Direitos Humanos (OSDH).

Leia também: "Missão cumprida", diz Trump sobre ataque à Síria; Pentágono também elogia ação

Além das pessoas que morreram, outras centenas ficaram feridas. Não se sabe exatamente quantas foram as vítimas, mas uma série de civis foram soterrados pela explosão na Síria . O incidente ocorreu na aldeia de Sarmada, na província de Idlib, no noroeste do país, perto da fronteira com a Turquia.

O depósito de armas estava na base de um prédio. De acordo com os primeiros socorristas, a explosão de hoje fez dois edifícios desabarem. Ainda não se sabe o que causou o a explosão, mas as autoridades já estão investigando, junto ao OSDH.

Leia também: Entenda o que acontece na Síria e por que Trump ordenou novo bombardeio no país

No resgate das vítimas, os Capacetes Brancos, socorristas que atuam nas zonas rebeldes, se dirigiram para a área da explosão, na localidade de Sarmada. Com a ajuda de uma escavadeira, eles tentam retirar os escombros, em busca de possíveis sobreviventes.

O que se sabe até agora é que, de acordo com o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, o local pertencia a um traficante de armas que trabalhava para o grupo extremista Hayat Tahrir Al-Sham (HTS), formado pelo ex-braço sírio da Al-Qaeda.

Reconquistar a província de Idlib é um dos objetivos de Bashar al-Assad, já que a região é uma das últimas da Síria que não estão sob o controle de seu governo.

Leia também: ONU suspeita de novo ataque químico e exige trégua imediata na Síria

De acordo com a AFP , agência de notícias francesa que acompanha a explosão na Síria , a maioria dos civis mortos pertence a famílias de combatentes do HTS. Essa informação também vem de Abdel Rahman, o diretor do OSDH.

* Com informações da Agência Ansa.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.