Entretenimento /

Sexta-feira, 13 de Julho de 2018, 23h:07

A | A | A

Segundo publicação, Harvey Weinstein assumiu oferecer papéis em troca de sexo

Algumas semanas após ser detino em Nova York por ser acusado de estupro em uma mulher, e de forçar sexo oral em outra, Harvey Weinstein foi...


Imagem de Capa

Algumas semanas após ser detino em Nova York por ser acusado de estupro em uma mulher, e de forçar sexo oral em outra, Harvey Weinstein foi a público se defender. Após o pagamento da sua fiança, o ex-produtor de Hollywood foi a público se defender. 

Leia também: Harvey Weinstein é preso em Nova York sob acusação de estupro

De acordo com revista, Harvey Weinstein assumiu que usava seus poderes para oferecer papéis em filme em troca de sexo
Reprodução
De acordo com revista, Harvey Weinstein assumiu que usava seus poderes para oferecer papéis em filme em troca de sexo


Após ser liberado, Harvey Weinstein deu uma entrevista para a revista britânica The Spectator , reproduzida pelo Deadline , em que admite que abusou de seu poder e cargo e que oferecia papéis em filmes em troca de sexo. Porém, o produtor ressaltou que não era um estuprador.

"Você nasceu rico e privilegiado e você era bonito (...) Eu nasci pobre, feio, judeu e tive de lutar minha vida inteira para chegar a algum lugar.  Você tinha muitas garotas, nenhuma garota olhava para mim até eu virar grande em Hollywood", disse Weinstein ao colunista Taki Theodoracopulos.

Leia também: Depois de acusações de assédio, Harvey Weinstein é expulso da Academia do Oscar

"Sim, eu ofereci a elas papéis em filmes em troca de sexo , mas era assim que era e ainda é com todo mundo (...) Mas eu nunca me forcei para cima de uma única mulher", completou. 

Esclarecimento da defesa

Depois que a reportagem ir ao ar, o advogado de Weinstein, Ben Brafman, negou que o seu cliente tenha feito a admissão, afirmando que sua suposta fala foi citada de forma equivocada e que o seu cliente "nunca disse nada sobre trocar papéis por sexo": "Eu estava presente na conversa, não foi uma entrevista, foi um encontro social entre dois amigos. Harvey e Taki não discutiram o caso e eu não permitiria que o fizessem. Falamos da velha Hollywood e o contraste com a cultura europeia". 

De acordo com comunicado enviado a  Variety , há uma frase atribuída a Taki em que ele supostamente admite o erro: "Depois de 41 anos sem uma só retratação na The Spectator , eu acredito que representei mal a conversa que tive com Harvey Weinstein. Foi um erro. Espero não ter prejudicado seu caso", disse. 

Leia também: Denúncias de assédio sexual em Hollywood que já foram esquecidas

Reflexos das denúncias

Após ser expulso pela Academia do Oscar, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas  se mobilizou para avaliar a situação de Harvey Weinstein na sétima arte. O produtor também está enfrentando uma possível expulsão da Guilda de Produtores da América (PGA), cujo conselho se reúne na próxima segunda-feira (16) para votar no status de Weinstein na organização. Vale lembrar que no início da semana a Academia Britânica de Artes do Cinema e da Televisão (BAFTA) suspendeu relações com o produtor.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.